Treino de Peito Para Hipertrofia

Para ficar com o peitoral forte e definido, alterne esses 4 exercícios de musculação.

Artigo publicado por Marcelo Max nas categorias: Exercícios

Ao pensarmos em treinamento para hipertrofia, logo nos vêm braços e pernas fortes, mas geralmente nos esquecemos de uma parte essencial do corpo: o peito, que também deve acompanhar o ritmo de outras regiões. Para trabalharmos essa parte, devemos realizar apenas poucos exercícios, porém, esses recrutarão uma grande parte das fibras peitorais de uma vez. E o melhor, de forma máxima, o que permite treinos pesados com progressos de cargas sem o aumento drástico do risco de lesões. Sendo assim, veja como funciona um treino para hipertrofia do peito:

treino-de-peito-para-hipertrofia

Supino Inclinado

Embora muitas pessoas que frequentam a academia acredite que o supino reto seria o primeiro exercício, mas se estudarmos a fundo o funcionamento de cada exercício, perceberemos que o supino inclinado é a melhor opção para início de treino. Isso porque ele trabalha a cabeça clavicular do peitoral, ou seja, a parte superior, que normalmente é negligenciada por causa da supervalorização do supino reto. E é essa a parte que dá o aspecto de peitoral trincado tão buscado por quem malha. Portanto, o supino inclinado precisa ser mais valorizado, pois dará muito mais ênfase à parte que ficará aparente mesmo que você esteja vestido. Para tanto, faça o exercício com ângulos de 30 a 45º, porque se fizer com menos de 30º, causará uma mutação no supino reto e em 45º, no exercício de ombros ao invés de peitoral.

Supino Reto

Agora sim, vamos ao supino reto, que trabalhará grande parte das fibras musculares, requisitando ainda, os ombros e os tríceps, contanto que o exercício seja executado de maneira adequada. Sendo assim, preste atenção às dicas do seu personal ou do instrutor para não sofrer com problemas de dores musculares ou de articulações.

Supino Declinado ou Canadense

Muito parecido com o supino inclinado, o declinado gera menos ganhos musculares devido à menos amplitude dos movimentos, embora alguns estudos sugiram que haja os mesmos estímulos nesses exercícios. Dessa forma, não é necessário fazer os 2 no mesmo dia de treino, apenas varie as posições para não se cansar demasiadamente. Mesmo que no supino canadense não empregue tanto os deltóides, em algumas situações, isso pode ser benéfico: se seus ombros estiverem doendo e não consegue fazer o supino reto ou o inclinado com a carga máxima, com o declinado a dor pode ser amenizada até que você se recupere.

Crucifixo em Todas as Angulações

Não são apenas os exercícios compostos que compõem um peitoral grande e cheio de gomos. Os isoladores, como o crucifixo, têm um papel essencial nessa construção porque são a base. No entanto, nem todos os praticantes de musculação conseguem trabalhar o peitoral como deveriam devido aos riscos dos ombros e dos tríceps tomarem conta dos movimentos, principalmente em casos em que há desproporção dos músculos, ou seja, quando os tríceps e ombros estão mais fortes que o peito. Por isso, os isoladores ajudam a atingir o peitoral sem que haja interferência e a trazê-lo para o mesmo nível dos músculos auxiliares. Enquanto o crucifixo declinado e o reto trabalham a mesma região, o inclinado trabalha o a região clavicular também.

Marcelo Max

Autor

Marcelo Max sofreu com anemia por muitos anos e encontrou no bodybuilding uma vida mais saudável e cheia de adrenalina.



Comente!




*Campos obrigatórios